O que é a Fibromialgia?

No que toca a doenças crónicas, a Fibromialgia é talvez uma das mais dolorosas e limitantes, mas afinal o que é a Fibromialgia? E quais os possíveis tratamentos?

A fibromialgia é uma doença crónica caracterizada por dores neuromusculares bastante dolorosas e difusas, e geralmente manifesta a presença de pontos de dor em regiões bem específicas.

Não existe uma causa única conhecida para explicar a fibromialgia e como não tem origem definida, não se encontra uma razão específica para ela acontecer. Sabemos que as pessoas com fibromialgia têm uma maior sensibilidade à dor e que essa dor se manifesta de forma real, generalizada, sem origem definida.

Esta síndrome da fibromialgia pode surgir após um grande estresse, um trauma físico ou psicológico.

Esse grande desconforto pode surgir sem motivo aparente ou até pode ser uma consequência de uma reação exagerada a um acontecimento passado. O mais comum é que este quadro patológico se inicie com uma dor localizada crónica que se vai espalhando por todo o corpo.

A fibromialgia é mais frequente nas mulheres, na faixa etária dos 30 aos 50 anos de idade. Apesar de as maiores vítimas serem as mulheres não parece haver relação com os hormônios, pois tanto afeta as mulheres de igual modo antes ou depois da menopausa.

Existem diversos sinais indicadores de que a pessoa pode sofrer de fibromialgia, como seja, dor por todo o corpo por um período superior a 3 meses, assim como a presença de pontos dolorosos na musculatura.

Existem 18 pontos estabelecidos no diagnóstico. Se desses 18 pontos, 11 foram positivos, considera-se que a pessoa sofre de fibromialgia.

 

Quais os Sintomas da Fibromialgia?

A fibromialgia é uma patologia crônica, no entanto os seus sintomas variam de intensidade e podem até mesmo desaparecer ou diminuir temporariamente. Supõe-se que essas alterações estejam relacionadas com diversos fatores, como mudanças de tempo, questões hormonais, estresse, depressão, ansiedade, atividade física intensa ou movimentos repetitivos.

As pessoas portadoras de fibromialgia têm uma grande sensibilidade ao toque e à compressão.

Na maior parte dos casos, sentem uma dor real e difusa que ataca os músculos, desencadeia dores nas fibras musculares e até mesmo nas articulações. Essas dores podem também manifestar-se nos ombros, nos braços, nas costas, no peito, no abdômen, na região lombar ou até dores de cabeça frequentes.

Por vezes as dores são generalizadas e bastante intensas por todo o corpo e a pessoa fica com muita dificuldade de locomoção ou dependente de alguém para caminhar, mesmo dentro de casa.

Algumas pessoas que sofrem de fibromialgia, têm dores tão fortes que nem sequer conseguem levantar-se da cama, perdem a mobilidade, a coordenação motora tanto nas pernas como nos braços e até mesmo a capacidade de segurar coisas simples, como segurar os talheres para poderem comer.

Outro sintoma que os pacientes se queixam é o cansaço.

Pessoas com este síndrome têm dificuldade em manter um sono profundo e reparador pelo que a pessoa acorda muito cansada, sofrem de distúrbios cognitivos como esquecimento, falta de atenção, e dificuldade de concentração, ansiedade, alterações intestinais e depressão.

A gravidade dos sintomas torna a fibromialgia uma doença muito incapacitante, com importante impacto na qualidade de vida de quem é afetado por esta doença. O sintoma mais importante desta patologia é a dor difusa por corpo com agravamento ao final do dia e algumas vezes ao levantar.

Como tratar a Fibromialgia?

Para a medicina alopática, a fibromialgia como qualquer doença crónica, não tem cura, e o tratamento nem sempre é satisfatório por ser de difícil diagnóstico e inconclusivo. Apenas existe tratamento farmacológico para aliviar os sintomas, sendo indicado sessões de psicoterapia, prática regular e gradual de exercícios aeróbicos, como caminhar, natação, andar de bicicleta ou correr, pode reduzir a fadiga e melhorar a função física.

Muitos fármacos diferentes foram testados para tentar aliviar os sintomas desta patologia. Infelizmente, muitos tratamentos ficam apenas nos antidepressivos e corticoides.

Perante a incapacidade de resposta da medicina alopática, muitos pacientes estão a procurar resposta noutras fontes. Existem caminhos alternativos que podem dar muita qualidade de vida a quem sofre deste problema.

Cada vez mais se recorre a terapias naturais, como massagem, acupuntura, yoga, meditação, fitoterapia, kinesiologia, osteopatia e homeopatia com bons resultados no tratamento da fibromialgia.

Esses caminhos naturais podem também passar por uma desintoxicação do organismo, assim como retirar todos os alimentos inflamatórios e acidificantes, poderá ser uma opção de excelência.

Procura uma opinião profissional? Deseja um caminho mais natural? Marque uma consulta aqui.

Categorias do Blog

Ebook Disponível
"81 Plantas que Curam"

Compre Aqui a sua Cópia Digital

Os Últimos Artigos

Junta-te à Comunidade

LN Naturologia no Facebook