Como Tratar a Psoríase de Forma Natural?

A psoríase é uma lesão eritematosa, descamativa e avermelhada com uma componente inflamatória infeciosa. Se queremos tratar a psoríase de forma natural, temos de nos questionarmos porque é que o corpo está a combater algo na região da derme?

Artigo relacionado: O que é Psoríase? Quais os Tipos?

Vários artigos científicos, publicados e indexados ao Google Académico, comprovam que foi detetado um mediador inflamatório TNF-α na placa psoriática. Este grupo de citocinas tem uma vasta gama de ações pró-inflamatórias.

Esse elevado número de citocinas leva ao aparecimento e agravamento de doenças autoimunes como a psoríase.

Correlação entre o intestino e a pele

“Não podemos tratar a psoríase sem tratar primeiro o intestino”.

De onde é que vem esse TNF-α? Ele vem precisamente dos enterócitos intestinais. Então podemos afirmar que existe uma correlação entre o agente causal da psoríase com o aparelho digestivo.

Nas lesões psoriáticas, geralmente existe a contaminação por algum metal inflamatório como o arsênico, chumbo, mercúrio ou lectina. Esses restos tóxicos provenientes de cascas de frutos e de grãos e, de verduras cruas que se acumulam em grande quantidade nas vilosidades intestinais, o sistema digestivo tem dificuldade em eliminá-los.

Para eliminar esse excesso de lectina, o corpo vai recrutar a resposta inflamatória Th1, nalguns casos Th2 e outras vezes Th3 para tentar eliminar o excesso de fibras.

É precisamente por todo esse processo que existe uma correlação entre um processo inflamatório intestinal e um processo inflamatório dérmico.

Se o corpo não consegue eliminar esse excesso de lectina através da via inflamatória, começa a acumular uma colonização de parasitas.

O tratamento da psoríase requer que seja feita uma análise sobre o que se está a ingerir e, provavelmente, excluir da alimentação as fibras, cascas de frutos e cereais, assim como verduras cruas.

Neste caso, teria todo o interesse em fazer um teste de intolerâncias alimentares.

Também há que ter presente que a inflamação crónica pode ter origem em focos dentários. A presença de metais tóxicos, nomeadamente arsênico, chumbo e mercúrio são altamente inflamatórios e incompatíveis, por vezes, com os grãos e alimentos vermelhos.

Se não for removida a causa desse processo inflamatório intestinal, dificilmente o organismo conseguirá fazer o processo de destoxificação, e por consequente tratar a psoríase de forma natural.

Como não consegue libertar estas toxinas de outra forma, começa a lançar o excesso de lectina na corrente sanguínea e linfática e a acumular depósitos de linfo histiocitários na camada dérmica da pele, assim causando doenças autoimunes como a psoríase.

Então, como tratar a psoríase de forma natural?

O principal para resolver a psoríase, será a remoção dos fatores inflamatórios que podem estar presentes na água, alimentos, focos dentários, higiene pessoal, cosméticos, produtos de limpeza, excesso de metais e poluição eletromagnética.

Por isso, a implementação do tratamento da psoríase faz-se em 3 fases principais:

Fase 1 – vamos excluir da alimentação tudo o que contenha glúten, lácteos e derivados, por favorecerem processos inflamatórios no intestino e aí está a causa da psoríase.

Fase 2 – vamos limpar o terreno biológico e libertar o estresse oxidativo, recorrendo a antioxidantes naturais. Assim como fazer a reabilitação do eixo neuroendócrino (hipotálamo-pituitária-adrenal).

Fase 3 – após normalizar o terreno biológico, fazer uma reposição de probióticos internos e externos, de forma natural.

Com estas 3 fases é possível tratar a psoríase de forma natural e reduzir os sintomas e efeitos.

Evidentemente que todo este processo deve ser acompanhado por um profissional de saúde.

Categorias do Blog

Ebook Disponível
"81 Plantas que Curam"

Compre Aqui a sua Cópia Digital

Os Últimos Artigos

Junta-te à Comunidade

LN Naturologia no Facebook